sábado, 16 de junho de 2007

O tênis e os meus planos

Eu olhava o seu tênis. Não quero identificá-lo. Mas ele estava lá. Ele e o seu tênis. E naquela noite haviam me perguntado o que eu achava de Bíblia e, antes que eu demonstrasse qualquer opinião, a questionadora afirmou que a sua vida é completamente espelhada na Bíblia e que a Bíblia é a vida dela. Bem, o que eu poderia responder? Não sei por que, mas me senti na obrigação de dar respostas positivas. Foi o que fiz.

Depois disso, um gay me disse que uma colega minha estava dando em cima dele. E que já tinha se esfregado nele umas três vezes em algumas festas por aí... Por que uma garota daria em cima de um gay? Eu fiquei me perguntando.

Enfim, eu olhava o tênis daquele homem. Ele falava do que foi preparado para falar e eu pensava sobre alguma coisa qualquer e passei a me perguntar o que estava fazendo ali. A coisa estava estranha e eu não me senti bem no meio daquela coisa estranha. As pessoas fingiam estar atentas, e eu também. Eu estava reparando na minha incapacidade de não achar respostas pra mim mesma. Aquela falta de organização, aquele tênis... Eu tentava, desesperadamente, encontrar algum motivo que justificasse a minha presença alí.

A grade de matérias lá do curso mudou. Em vez de espanhol, estudaremos inglês. Por mais simples que pareça, recebi a notícia com impacto. Meu Deus, eu havia me planejado e, de repente, novamente, tudo foi por água abaixo. Igualmente àquelas enchentes relâmpagos que acontecem com as fortes chuvas do Rio de Janeiro, que de uma hora para outra, levam barrancos, famílias e histórias. Eu me sinto assim às vezes. Com vontade de desistir de tudo e deixar que tudo seja levado ou lavado pelas minhas enchentes mentais. Mas eu preciso tentar aprender a viver sem fazer planos. Que nem aquele tênis, que não tinha plano nenhum, sequer tentou roubar os meus e estava alí, sem nenhum questionamento. Apenas feliz.

6 comentários:

Helder Júnior disse...

Eu achei que precisava aprender a viver fazendo planos. Mas lendo esse teu texto, vi que o tão desejado e difícil meio termo é o ideal...

Rafael disse...

Iurrull \o


Bebebeijo gih x*

jeronymo artur disse...

você tem um dom
que eu conheço bem. ;)

eu sempre volto pra essa de blog.
faço layout, elaboro um projeto de como serão as postagens, com fotos, sem fotos e blablabla..
infelizmente na maioria das vezes não passa do terceiro post..
mas mesmo assim eu sempre insisto em escrever.. ;)

de qualquer forma,
virei aqui sempre que puder. ;)

Menina de óculos disse...

Eu tbm tenho tentado viver sem fazer planos...com o tempo descobri que é melhor assim..rsrsrs
Adorei seu blog! Vida longa pra ele!!!
:)
Beijocas

thiely disse...

ja descobri tudo...
de quem era o tenis...
onde vc estava...
ate quem era o gay...
adorei esse pensamento e bem assim que agente se senti sempre!!!
bjim

dissonante disse...

Giba gostei do blog.