terça-feira, 31 de julho de 2007

Filosofia Quântica

Quantas e quantas vezes eu já parei pra contar? Ando com a memória péssima. Decido e depois esqueço o porquê. Então, tenho que decidir denovo. E quem me conhece sabe que não gosto de tomar decisão. Eu preciso me justificar completamente. E pouco me importa o que isso possa parecer. Eu não gosto e ponto. Ando também com novos cacuetes. Realmente, eu não nasci pra falar. De qualquer forma, abro espaço aqui pra uma revelação: pretendo ser professora. Sim, sim...

5 comentários:

Anônimo disse...

Olha só!
Mais um blog dessa menina que é lida por mim desde uns cinco anos atrás, na époda da Dama do Rock!!!
Kkkkkkkkkk
Bacana teu flog, Gisa!
Abraço.

ricardin disse...

=)

Menina de óculos disse...

Vc quer ser professora?? E não gosta de falar?? Como assim, menina??? Fiquei confusa!!! rsrssr

Marcos disse...

Como falador compulsivo sei que sou suspeito pra falar, mas sinto (pressinto) que pra ensinar não precisa gostar de falar, precisa gostar daquele que te ouve. Assim a fala não é mais um movimento individual que vai do um ao outro, mas algo simultaneo que percorre ao mesmo tempo o que fala e o que ouve, e quando acontece... é bom...muito bom...

Sugestivel disse...

Ihh, vc também pegou o mal do esquecimento foi?
Ainda não encontraram a cura :(
Gi, vamos ser professorar substitutas da Ufac...Passar vários trabalhos, viajar sem justificar, enrolar nossos alunos, vamos?
:D