sexta-feira, 30 de novembro de 2007

[diário] aprendizado*

*dos assuntos que deixam os olhos molhadinhos

Com que idade a gente aprende a dialogar com nossos pais? Queria chegar logo lá, não vejo a hora.

É que eles são o motivo. Não o maior, nem o menor, muito menos o principal. Eles são simplesmente completamente o único motivo deu querer permanecer.

Eles não sabem. Sem hipocrisia, eles não sabem mesmo, de verdade, não têm a mínima noção. Nunca disse, nunca mostrei. É que eu só escondo, como quase tudo. Não é maldade. Acho que, puramente, falta de jeito.

Será que é coisa do signo? Distância demais entre os nossos pensamentos? Gostos, modos de ver a vida, sonhar e acreditar?

Enfim, será que existe algum exercício? Queria tentar. Preciso. Eu acredito que a minha vida vai mudar completamente quando eu aprender a fazer isso. Tenho essa noção.

Com que idade a gente perde aquela sensação de que eles não nos entendem e que vão sempre nos condenar?

Sim, querem o nosso bem - sem dúvida. Mas quando a gente realmente acredita e sente que eles podem nos ouvir, nos deixar falar tudo - sem interromper, sem pré-conceitos - e nos ajudar?

9 comentários:

Um produto da mente disse...

Maravilha! Teus textos estão cada vez melhor!
Tenho uma amiga q diz o seguinte: "a gente tem uma certa idade em que devemos respeito e não obediência aos pais".
Já falei isso pro meu pai, mas ele não concordou.
Claro né? rs.

Menina de óculos disse...

É moça, eu num faço idéia em que idade aprendemos a lidar melhor com os nossos pais. Agora mesmo eu tô aqui pensando como vou contar uma coisinha pra minha mãe. Como eu sei que ela não vai gostar, tô tentando escolher as melhores palavras, mas nem assim acho que vai dar certo.
bjs
:(

Alexandre Nunes disse...

Olá Menina! essa é minha primeira vez aqui!!!!(rsrsrsr), gostei e vou voltar mais vezes tá?!!!
Penso nos blog's como um "vinho" tem que ser degustado aos poucos...

Helder Júnior disse...

Em primeiro lugar, pais sempre serão pais. Porém - aí vem a boa notícia - uma hora eles nos tratarão como adultos. Não quer dizer que ão concordar nem compreender nossas opiniões, mas vão respeitar. Vão aconselhar com o seu consentimento. Acredito que cheguei lá, mas vou ser sincero: não sei se isso é tão bom quanto achávamos que seria. Lembro daquela história que quando somos crianças queremos crescer, mas quando somos adultos queremos ser crianças. Acho que o bom é aproveitar o agora.

É estranho falar sério de vez em quando...

Veriana Ribeiro disse...

eu n sei, mas espero q essa ora n demore muito.

Acho q queremos tanto impressionar e orgulhar nossos pais, q ficamos pressionados a sermos sempre os melhores e temos um medo costante de decepciona-los.

e por isso é tão dificil.

Mais força menina! fala com eles!

ana helena disse...

acho que nunca...=/

Cely Melo disse...

Vc já tentou?! Os pais as vezes tb ficam assustados, se perguntando o que vão fazer com aquela criatura que eles difinitivamente não entendem, mas fingem que sim...
As vezes, nós, os pais, também não sabemos, também temos medos e incertezas, olhamos nossas crianças crescidas e procuramos algum vestigio daquele que um dia foi nosso bebê e não encontramos mais.
E isso dar medo...
Pq eles não entendem que só queremos continuar a protege-los, mais com o tempo nossos bebês vão se afastando, afastando, afastando... Não sendo mais possivel alcança-los...
E isso dói...
Dar medo.

Kaline Rossi disse...

Quando vc casar e ter filhos.
Sério, infelizmente é isso que eu penso!
=(

César Alcon disse...

Acredito que o meu diálogo com meus pais realmente passou a existir quando mostrei que era maduro o suficiente pra traçar o caminho que eu escolhi e não o que eles planejaram.
É deveras importante ouvir oq eles têm a dizer e mostrar respeito ao que eles dizem. Mas isso não quer dizer que vamos fazer oq querem. ;)